Sistema inmunitário

O sistema imunitário é o mecanismo de defesa do corpo humano1.

É constituído por um conjunto de órgãos, tecidos e células distribuídos por todo o organismo, que estão interligados entre si para reconhecer e combater patógenos externos (por exemplo, vírus, bactérias ou patógenos) e internos (por exemplo, células tumorais)1.

O sistema imunitário deve estar equilibrado para reconhecer seletivamente os elementos característicos dos corpos estranhos, desencadeando uma resposta única contra o que considere ser uma agressão.

O que é a imunidade inata e adquiria

Em função do tipo de resposta, o sistema imunitário pode dividir-se em dois tipos que se coordenam para manter a nossa integridade: a imunidade inata ou natural e a imunidade adquirida ou específica1.

  • A imunidade inata é a primeira linha de defesa contra qualquer patógeno e é considerada inespecífica e imediata, já que reage contra qualquer agente externo da mesma forma, em questão de segundos ou minutos.
  • A imunidade adquirida desenvolve-se ao longo da vida e é específica para cada agente infecioso, que necessita de horas ou dias para se desenvolver. Para além disso, tem a capacidade de gerar memória de forma a que, nas subsequentes exposições ao mesmo patógeno, o nosso organismo reaja de forma mais rápida e eficiente.

O que é a imunidade treinada

A imunidade treinada é a capacidade de a imunidade inata atuar com memória contra um mesmo patógeno em infeções subsequentes, o que pressupõe uma mudança no paradigma, já que até agora esta característica apenas era atribuída à imunidade adquirida2.

Ainda assim, é necessário potenciar a imunidade treinada através de estímulos para que este efeito seja produzida.

Regra geral, a imunidade treinada:

  • Ajuda a preparar uma resposta equilibrada contra infeções
  • Reforça a resposta imunitária após a vacinação, oferecendo uma maior eficácia
  • Melhora a proteção e eficiência da resposta do sistema imunitário, ajudando a prevenir reações exacerbadas do sistema imunitário contra um patógeno
Sistema inmunitario

¿O que é um simbiótico?

Probióticos

Os probióticos são microrganismos vivos que, quando são administrados em quantidades adequadas, geram benefícios para a saúde da pessoa que os ingere. Podem ser bactérias ou fungos e estão presentes de forma natural em produtos fermentados, como o iogurte ou o kefir, mas neste caso, a concentração ou quantidade não podem ser controladas3.

Pós-bióticos

Os pós-bióticos são os produtos derivados de um probiótico: podem ser tanto os produtos da sua metabolização ou os componentes do interior do microrganismo em si (proteínas, gorduras) que, quando ingeridos nas quantidades adequadas, geram um benefício no hóspede.
A principal diferença em relação aos prebióticos é que os pós-bióticos devem estar inativados e são produto dos microrganismos, ou parte do mesmo, que demonstraram benefícios3.

Prebióticos

Os prebióticos são substâncias não digeríveis que incorporamos com os alimentos com alto teor em fibra, que favorecem o crescimento seletivo de bactérias intestinais benéficas3.

Simbóticos

Os simbióticos são os produtos que integram, em conjunto, a mistura de probióticos (que exercem a ação) e prebióticos (que promovem o seu crescimento) necessários para ajudar no crescimento e colonização dos probióticos, obtendo um maior efeito do que cada um deles em separado 4.

Sello_2_PT

O ABB C1™ é um simbiótico que tem um efeito sinergético 3 em 1 ao incorporar prebióticos e pós-bióticos enriquecidos com minerais essenciais11, 12.

ABB C1™
Potencia o sistema imunitário
ao mais alto nível11, 12.

Prebiótico

O complexo β-1,3-1,6-glucano derivado da levedura Saccharomices cerevisiae interage com recetores específicos das células imunitárias, dando origem à ativação da imunidade treinada, favorecendo uma resposta imunológica equilibrada para a asma e alergias, potenciando o efeito das vacinas e o tratamento sintomático da alergia6.

O complexo β-1,3-1,6-glucano presente no ABB C1™ es único já que a sua estrutura tridimensional preservada é o componente que assegura o efeito imunomodulador superior contra outros glucanos disponíveis7.

Pós-biótico

A levedura do Saccharomyces cerevisiae contida no ABB C1™ é enriquecida com minerais essenciais altamente biodisponíveis.

  • O Selénio tem um papel importante na defesa vírica pela sua propriedade antioxidante, entre outros8, 9.
  • O Zinco desempenha um papel essencial na imunidade celular e demonstrou ajudar no processo de alergia e asma em crianças1010.

O ABB C1™ ImmunoEssential demonstrou potenciar a imunidade treinada clinicamente através da sua inovadora composição e efeito sinergético11, 12.

Benefícios do ABB C1™

A imunidade treinada

ABB C1™ potencia a Imunidade treinada.

Eficácia

Potencia a resposta às vacinas e ao tratamento dos sintomas alérgicos.

Proteção

Protege contra infeções víricas e potencia a produção de anticorpos.

Equilíbrio

ABB C1™ modula o microbioma.

Referencias

  1. U.S. Department of Health and Human Services National Institutes of Health. Understanding the Immune System How It Works. NIH Publication. 2003; No. 03-5423.
  2. Netea, M. G. et al. Defining trained immunity and its role in health and disease. Nature Reviews Immunology (2020). doi:10.1038/s41577-020-0285-6
  3. Salminen, S., Collado, M.C., Endo, A. et al. The International Scientific Association of Probiotics and Prebiotics (ISAPP) consensus statement on the definition and scope of postbiotics. Nat Rev Gastroenterol Hepatol 18, 649–667 (2021). https://doi.org/10.1038/s41575-021-00440-6
  4. Pandey, K.R., Naik, S.R. & Vakil, B.V. Probiotics, prebiotics and synbiotics- a review. J Food Sci Technol 52, 7577–7587 (2015). https://doi.org/10.1007/s13197-015-1921-1
  5. AB Biotek, Dosier científico ABB C1™. 2022
  6. Raa, J. Immune modulation by non-digestible and non-absorbable beta-1,3/1,6-glucan. Microb. Ecol. Heal. Dis. 26, 4–7 (2015)
  7. De Marco Castro, E., Calder, P. C. & Roche, H. M. ß-1,3/1,6-Glucans and Immunity: State of the Art and Future Directions. Molecular Nutrition and Food Research (2020). doi:10.1002/mnfr.201901071
  8. Vetvicka, V. & Vetvickova, J. Addition of Selenium improves immunomodulative ffects of Glucan. N. Am. J. Med. Sci. 8, 88–92 (2016).
  9. Guillin, O. M., Vindry, C., Ohlmann, T. & Chavatte, L. Selenium, selenoproteins and viral infection. Nutrients (2019). doi:10.3390/nu11092101
  10. Read, S. A., Obeid, S., Ahlenstiel, C. & Ahlenstiel, G. The Role of Zinc in Antiviral Immunity. Advances in Nutrition (2019).
  11. EFSA Scientific Opinion. EFSA J. 2009; 7(9):1220 and 2010; 8(10):1727
  12. EFSA Scientific Opinion. EFSA J. 2009; 7(9): 1229